Foto: Divulgação / Sociedade de Bariátrica

Sociedade de Bariátrica inicia mutirão emergencial para operar pacientes no Rio de Janeiro

Os demais pacientes serão agendados conforme o gerenciamento de leitos, material e regras de segurança em função da pandemia.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) – dentro de uma parceria inédita da Secretaria de Estado da Saúde do Rio de Janeiro – promoverá um mutirão emergencial no Hospital Carlos Chagas para realizar cirurgias bariátricas em pacientes que aguardavam na fila e já tinham realizado todas as etapas exigidas no pré-operatório para o procedimento. A ação servirá como modelo para o país.

As primeiras cirurgias foram realizadas na quinta-feira (07) pela equipe médica do presidente da SBCBM, Fábio Viegas. Os demais pacientes serão agendados conforme o gerenciamento de leitos, material e regras de segurança em função da pandemia.

No mês de dezembro, em vistoria ao Hospital, o presidente da SBCBM, Fábio Viegas, avaliou os primeiros pacientes que já haviam cumprido as etapas e exames de pré-operatórios. Na sequência todos os demais pacientes também foram avaliados.

Segundo o presidente da SBCBM, o mutirão está sendo realizado em razão da excepcionalidade e por conta do pedido de ajuda da Secretaria de Saúde para que as pessoas com pré-operatório concluído possam ser operadas.

“A cirurgia bariátrica é o melhor e, muitas vezes, o único tratamento para os casos de obesidade mórbida com doença associada. É um fator de risco para muitas doenças, entre elas a Covid-19. Quanto mais ampliarmos o serviço, maior será o impacto positivo na população. O SUS é fundamental para isso. A bariátrica não é um procedimento estético, mas que salva vidas”, diz o presidente da SBCBM, Fábio Viegas.

Os pacientes receberão acompanhamento nos 30 primeiros dias do pós-operatório no Carlos Chagas e, posteriormente, serão encaminhados para assistência endocrinológica, nutricional e psicológica no Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (IEDE).

Entenda o caso
No Rio de Janeiro as cirurgias bariátricas precisaram ser suspensas – em agosto de 2020 – após a secretaria cancelar o contrato para realização do serviço por problemas legais de renovação, gerando uma demanda ainda maior de pacientes que precisam ser operados por problemas graves de saúde.

A Secretaria de Saúde estabelecerá cronograma para abertura dos novos serviços públicos para o tratamento cirúrgico da obesidade nos hospitais. Também foi anunciada pelo secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves, a reabertura de leitos na unidade, sendo oito novos para cirurgia bariátrica no Carlos Chagas.

“Essa ação é resultado do trabalho que estamos fazendo em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, cumprindo o que afirmamos que faríamos. Os pacientes podem ter certeza de que não ficarão desassistidos, e vamos seguir acompanhando os trabalhos na ponta”, destaca o secretário Carlos Alberto Chaves.

O presidente da SBCBM, Fábio Viegas, explica que será fornecido todo subsidio técnico para que sejam estabelecidos critérios de elegibilidade e priorização dos pacientes, seleção de equipes de atendimento, e adequação de protocolos de atendimento pré e pós-operatórios. “A SBCBM tem trabalhado incessantemente para democratizar e ampliar o acesso à cirurgia bariátrica e metabólica no país e este mutirão no Rio de Janeiro é um exemplo da nossa ação”, declarou.

Próximos passos
A SES do Rio de Janeiro prepara em caráter de urgência um chamamento para novos contratos com apoio técnico da SBCBM, com quem está trabalhando na elaboração de protocolo conjunto. O processo será feito de forma transparente e com metas claras de produtividade e resultados, para que prevaleça a qualidade do serviço. Em dez anos, 3.200 pacientes já foram operados pelo Programa de Cirurgia Bariátrica do Estado do Rio.

Depoimentos de pacientes
Rafaela Martins Abrantes Carvalho, 37 anos, técnica de enfermagem – Eu tenho diabetes desde 1 ano de idade e já perdi a visão de uma vista. Tomo seis injeções de insulina por dia. Minha médica disse que apenas a cirurgia bariátrica poderia me dar uma vida melhor. Para mim, a cirurgia é um recomeço.

Leane de Oliveira, 39 anos, auxiliar administrativa – A bariátrica é a realização de um sonho. Tomei a decisão de fazer a cirurgia após minha segunda gestação, quando tive um grande aumento de peso. Hoje, tenho muita dificuldade de locomoção e de cuidar dos meus filhos. Espero ter uma vida nova após a operação.

Priscila Xavier dos Santos, 38 anos, vendedora – Paciente vai passar por consulta para acertar a medicação contra a hipertensão e terá cirurgia reagendada para os próximos dias – Estou muito tranquila e feliz. Chegou a minha hora. Foram muitas dificuldades para chegar até aqui. A bariátrica é meu sonho de poder cuidar dos meus filhos, brincar e passear com eles sem dificuldades.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também