Reprodução da internet

Sobe para 44 o número de mortos em Minas Gerais e ainda há risco de rompimento de barragem no Espírito Santo

A quantidade de pessoas mortas em decorrência das chuvas em Belo Horizonte aumentou para 44 pessoas. A informação foi confirmada na noite desde domingo (26) pela Defesa Civil do Estado. A chuva atinge o estado de Minas Gerais desde sexta-feira (24).

O órgão também informou que 12 pessoas estão feridas e outras 19 estão desaparecidas. Ao todo, 13.887 pessoas estão desalojadas e 3.354 desabrigadas. O maior número de vítimas foi registrado na região metropolitana de Belo Horizonte. 13 vítimas foram registradas na capital, 6 em Betim, 5 em Ibirité e 2 em Contagem.

Também foram registradas vítimas nos municípios de Alto Caparaó, alto Jequitibá, Divino, Luisbrugo, Manhaçu, Pedra Bonita, Santa Margarida, Tocantins, Simonésia e Carangola.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, fez um sobrevoo sobre as áreas atingidas pela chuva neste domingo. Ele se reuniu com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), além de prefeitos das cidades do interior.

O estado do Espírito Santo também sofreu com as chuvas deste final de semana. O volume de chuva diminuiu neste domingo, mas o número de pessoas desabrigadas e desalojadas aumentou. Ao todo, 8.914 pessoas estão em uma destas condições.

No estado 9 pessoas morreram, dentre elas 2 crianças.

O governo federal reconheceu o decreto de calamidade pública para quatro municípios do estado: Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta e Rio Novo do Sul. Com este reconhecimento os Municípios podem receber ajuda federal de forma mais ágil.

A comunidade de São João do Norte, no município de Alegre, teve que sair de suas casas por causa de um alerta de rompimento da barragem de PCH Francisco Grós.

O alerta foi emitido na manhã deste domingo, mas durante o dia havia relatos de que o alerta tinha sido retirado pela empresa Statkraft, hidrelétrica responsável pela barragem. Em um comunicado no final do dia, a empresa emitiu um novo alerta para a população. De acordo com a Statkraft, o monitoramento da barragem continua sendo realizado pela empresa.

O ESTADO DE EMERGÊNCIA se mantém e a empresa recomenda que os moradores das proximidades não voltem para suas casas.

Nesta segunda-feira (27), a Statkraft fará uma nova inspeção, e somente após esta avaliação poderá afirmar se o estado de emergência permanecerá.

No Rio de Janeiro o número de pessoas desalojadas e desabrigadas superou 6.000. O governador Wilson Witzel sobrevoo neste domingo as áreas alagadas em Porciúncula. Ele anunciou a liberação de R$ 23 milhões para atender as cidades atingidas.

Crédito da foto: Reprodução da internet

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também