Projeto “CDC Por Aí” vai projetar arte nas fachadas de prédios de Petrópolis

A primeira ação acontece no Obelisco, em homenagem ao Dia do Trovador, comemorado no domingo (18).
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Instituto Municipal de Cultura (IMC) lança na próxima segunda-feira (19/07) o “CDC Por Aí”, com projeções de arte nas fachadas de prédios e pontos turísticos de Petrópolis. A primeira ação acontece neste mesmo dia no Obelisco, das 18h30 às 19h30, em homenagem ao Dia do Trovador, comemorado no domingo (18). Segundo o prefeito interino Hingo Hammes, o objetivo é valorizar o potencial criativo da cena cultural da cidade e fomentar o acesso por parte de toda a população.

A trova é um gênero literário que possui extensa abrangência através da União Brasileira de Trovadores, instituição sem fins lucrativos que possui seções e delegacias espalhadas em todo o território nacional, inclusive em Petrópolis, sob a presidência da poetisa Catarina Santos, que sucedeu Roberto Francisco, que ficou à frente do movimento por mais de 40 anos.

Entre as trovas a serem exibidas em formato de projeção no Obelisco estarão presentes as dos poetas Roberto Francisco, Catarina Santos, Luiz Carlos Rodrigues Soares, Marcia Alamino, Marina Branquinho Alves, Fernanda Forster, Rodolfo Andrade, entre outros. “Cada vez mais, a arte necessita criar oportunidades de acessibilidade e de envolvimento do público por meio de ações que despertem interesse da população sobre as suas diversas possibilidades”, destaca Catarina Maul, gerente do Centro de Cultura, responsável pelo projeto.

Além dos espaços culturais conhecidos, onde manifestações cênicas são esperadas através de apresentações de teatro, música e exposições de obras de arte, as ruas se tornaram palco das mais diversas expressões. São esculturas vivas, painéis de grafite, músicos em galerias, vivências que, ao mesmo tempo em que trazem entretenimento à população, despertam curiosidade, reflexão e evolução no campo das ideias.

“As formas de manifestação artística agregam linguagens o tempo inteiro, acompanhando a rapidez com que surgem as novas tecnologias. Vamos explorar espaços conhecidos dos petropolitanos levando arte e cultura”, completa Catarina Maul.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.