Procon descarta alimentos impróprios para o consumo

A ação aconteceu na capital e contou com a participação do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem).
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Na quarta-feira (28), o Procon Estadual do Rio de Janeiro realizou ação de fiscalização em oito supermercados da capital. A ação contou com a participação do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem). Veneno para ratos onde carnes são estocadas, alimentos vencidos, sem informações sobre a data de validade e manipulação, previamente moídos, mal armazenados, publicidade enganosa e problemas estruturais foram algumas das irregularidades identificadas pelos agentes. Todos foram autuados.

Dos oito estabelecimentos vistoriados, houve descarte de produtos em seis. Os agentes constataram alimentos sem informação sobre a data de validade e especificação no Intercontinental (15,7 kg), Guanabara (1,708 kg), Multimarket (6,1 kg), Prezunic (16,4 kg) e Super Rede (23,513 kg).

Nestes últimos três, encontraram ainda produtos vencidos – 1,1 kg, 14 kg e 11,412 kg respectivamente. Todos os itens foram descartados, dentre eles havia carnes, alimentos em conserva, doce de leite, iogurte, creme de leite e molho pronto. Veneno para ratos no local de armazenamento de carnes foi encontrado pelos agentes no Super Rede.

Publicidade enganosa foi constatada pelos agentes no supermercado Costa Azul. A oferta informava que ao comprar um pacote com quatro produtos de limpeza por R$ 11,89, um sairia grátis. Porém o preço individual dos itens era R$ 1,99, ou seja, se o consumidor comprasse separadamente fora da oferta, gastaria R$ 7,96.

Problema relacionado ao preço também foi encontrado no Prezunic. O valor promocional do filé de costela estava em destaque, porém o preço era válido apenas se consumidor usasse o aplicativo do mercado, o que pode induzir o consumidor em erro. No mesmo mercado os fiscais identificaram ainda que lombo suíno e carne seca estavam sendo vendidos sem que houvesse desconto do peso da embalagem.

O preço do pão francês informado no Pão de Açúcar era de R$15,20, porém o preço impresso na embalagem do produto era de R$16,90. Apesar de não ser permitido vender carne que não tenha sido moída diretamente pelo fornecedor ou na frente do consumidor, os fiscais constataram que havia no supermercado 3,5 kg de carne pré-moída à venda, o mesmo foi identificado no Guanabara (520g).

Em todos os supermercados fiscalizados, os agentes encontraram problemas estruturais como por exemplo: ferrugem, fiação exposta, irregularidades nos pisos, lixeira sem tampa, goteira, ralo sem proteção ou alimentos estocados de forma inadequada.


Locais fiscalizados:

1-Intercontinental – Rua Praça Tiradentes, 40, Centro

2- Guanabara – Av. das Américas, 3501, Barra da Tijuca

3- Multi Market – Rua Senador Pompeu, 152, Centro

4 – Prezunic – Avenida Das Américas, 13850, Recreio

5 – Princesa – Rua Do Catete, 120, Catete

6 – Pão de Açúcar – Rua Ministro Viveiros de Castro, 38 – Copacabana

7 – Super Rede – Estrada do Guerengue, 716, Taquara

8 – Costa Azul – Av. Cesário de Melo, 5400, Campo Grande

Fonte: Governo do Estado do Rio

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.