Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão contra acusados de fraudar bombas em postos de combustíveis

Com o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, o objetivo é obter novas provas que apontem o envolvimento dos investigados e a participação de postos envolvidos nesse esquema criminoso.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Policiais civis da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) desencadearam, nesta terça-feira (29/06), a operação “Fraude na Bomba” para cumprir mandados de busca e apreensão em escritórios de empresas investigadas por instalar microchips em bombas de gasolina para fraudar o consumidor. Segundo as investigações, por meio do golpe, os veículos deixavam de abastecer entre 7% e 15% do valor mostrado, lesando os clientes.

Um dos empresários alvos da ação é conhecido como “71” ou “Rei do Chip”. Ele e seu filho são sócios de uma empresa de informática especializada na fabricação e instalação de chips para adulterar bombas de combustíveis. Por meio do golpe, os acusados aumentavam o lucro do posto e, também, praticavam outros delitos, como sonegação fiscal e crime contra as relações de consumo.

A investigação apontou, ainda, que o lucro dos empresários com a instalação desse mecanismo possibilitou a compra de carros de luxo e que os mesmos entrassem no ramo dos postos de combustíveis. Eles teriam comprado postos em Irajá, na Zona Norte da capital; em Resende, no Sul Fluminense; e Angra dos Reis, Região da Costa Verde. Os dois chegaram a negociar um posto no valor de R$ 1,8 milhão.

Com o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, o objetivo é obter novas provas que apontem o envolvimento dos investigados e a participação de postos envolvidos nesse esquema criminoso.

Fonte: Ascom PCERJ

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.