Foto: Reprodução

Obras de revitalização na Serra Velha devem começar em dois meses

Previsão foi dada pelo presidente do DER-RJ.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

As obras de revitalização na Serra Velha da Estrela (RJ-107) devem começar em dois meses, informou o presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (DER-RJ), Luiz Roberto Pereira de Souza, em reunião com o deputado Sérgio Fernandes (PDT), nesta quinta-feira (21/01). 

O órgão já iniciou o processo licitatório, com projeto que inclui pavimentação, drenagem, recuos de acostamento e sinalização entre o trecho da Fábrica de Pólvora do Ministério do Exército e o Conjunto Residencial Grão Pará, numa extensão de 11,5 km. A via, que é tombada, é a principal ligação de Petrópolis com Magé, na Baixada Fluminense.

No encontro, o deputado reforçou a necessidade de rapidez na revitalização, e que as intervenções comecem pelo trecho da Cidade Imperial, já que a rodovia é a principal opção de acesso quando há interrupções no trânsito da BR-040.

“O governador Cláudio Castro esteve em Petrópolis e reconheceu a importância da intervenção. Desde então, estou em contato quase diariamente com o prefeito em exercício, Hingo Hammes, para buscarmos o início dessas obras. Conversei com o presidente do DER para reforçar a urgência de melhorar a Serra Velha como forma de consolidá-la como via alternativa à Cidade Imperial”, afirma Sérgio Fernandes, lembrando que a concessão da BR-040 se encerra em março. “Não sabemos como ficará a conservação da rodovia federal, por isso a RJ-107 precisa estar em boas condições”, completa o deputado.

Moradora do Meio da Serra, a líder comunitária Daniela Souza, de 37 anos, destaca que a obra é vital não só para o desenvolvimento da região, como também para a qualidade de vida das quatro mil pessoas que vivem no trecho da estrada.

“A estrada é histórica, mas não cuidam. As empresas até começam as obras, mas abandonam. Desde o fim do ano passado a estrada está largada, com muitos buracos perigosos. Motoristas de caminhão que passam muito por aqui para cortar o pedágio, mas não estão acostumados com as condições, tentam desviar e acabam arrebentando fios de telefonia. Também sofremos com ônibus mais velhos, porque o diretor da empresa me disse que não pode colocar frota nova numa estrada como essa”, lamenta Daniela.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.