Foto: Reprodução

Nova Cepa da COVID-19 é encontrada no Chile

O Chile identificou o primeiro caso de infecção por uma nova cepa de coronavírus, anunciada no Reino Unido em meados de dezembro

Por Guilherme Campbell

Uma nova linhagem da COVID-19 foi encontrada no Chile. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 29 de dezembro, pela vice-ministra da Saúde da República, Paula Dasa. “A análise é consistente com a cepa encontrada no Reino Unido. Todos os cuidados foram tomados e a pessoa já estava hospitalizada”, citou a assessoria de imprensa da agência na rede social Twitter.

O primeiro paciente com a cepa “britânica” do coronavírus foi uma mulher chilena que voltou ao país depois de visitar Londres, onde esteve visitando parentes por cerca de uma semana. Ela fez o teste de infecção no aeroporto de Santiago e depois foi para a cidade de Temuco. Agora, o Ministério da Saúde republicano está tentando entrar em contato com todos os passageiros do voo.

Em conexão com a identificação de uma nova cepa do vírus, as autoridades chilenas decidiram introduzir uma quarentena de 10 dias para todos os que entram no país. Essas medidas entrarão em vigor a partir de 31 de dezembro.

No mesmo dia, soube-se que na província canadense de Quebec, foi encontrado um paciente com uma nova variedade de COVID-19, previamente descoberta no Reino Unido. No total, a nova cepa foi identificada em quatro regiões do país.

A nova variante de COVID-19 foi descoberta no Reino Unido em 14 de dezembro e segundo especialistas do Centro de Modelagem Matemática de Doenças Infecciosas da Escola de Londres, é 56% mais infeccioso que o original, o que pode levar a um aumento no número de pacientes em hospitais no futuro. Ao mesmo tempo, o primeiro-ministro do país, Boris Johnson, disse no dia 19 de dezembro que a nova cepa do vírus é 70% mais infecciosa, mas isso não significa que cause complicações mais graves ou alta mortalidade.

Devido à descoberta de uma nova cepa de coronavírus, o tráfego aéreo com o Reino Unido foi suspenso por mais de 35 países. O vírus já foi detectado em vários países, incluindo Dinamarca e Japão.

De acordo com o International Bureau of Statistics Worldometer do Chile, 603.986 casos de COVID-19 foram identificados até o momento, 16.488 pessoas morreram e 573.681 pacientes se recuperaram.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também