Ministério da Saúde estabelece nova regulamentação para acompanhamento de mulheres em trabalho de parto

Pandemia de Covid-19 exige cuidados redobrados com gestantes

Em meio a pandemia de Covid-19, uma das principais questões envolve as gestantes e o momento do parto. Elas se preocupam com o risco que elas, o bebê e o acompanhante correm durante o procedimento. Diante disso, o Ministério da Saúde estabeleceu novas regras pensando exatamente na segurança de todos os lados. Rebecca Sotelo, ginecologista obstetra, explica algumas das medidas. “Na entrada, tanto a gestante quanto seu acompanhante passarão pela triagem. O objetivo é identificar a presença de sinais de sintomas da COVID-19. Caso a gestante tenha sintomas, recomenda-se o teste específico para a doença e isolamento durante a internação”, diz.

Segundo Rebecca, caso a gestante seja portadora da COVID-19, somente serão permitidos acompanhantes do convívio diário da paciente, a fim de minimizar a possibilidade de transmissão do vírus para outra pessoa. “No caso do acompanhante, apenas poderá permanecer com a gestante aqueles que estiverem assintomáticos e fora do grupo de risco – idosos e pessoas com doenças crônicas (como hipertensão e asma) não poderão acompanhá-la durante a internação. O ideal é que a gestante escolha um acompanhante que se encaixe em todas essas restrições”, afirma.

Outro ponto importante é que fica proibido o revezamento entre acompanhantes durante a internação. “Essa medida serve para minimizar a circulação de pessoas no hospital e os mesmos devem ficar restritos ao local de assistência à paciente. Caso o acompanhante apresente algum sintoma durante a internação, o estabelecimento afastará essa pessoa e vai orientá-la a buscar atendimento em local adequado” acrescenta a especialista.

Já no pós-parto, a recomendação do Ministério da Saúde é a permanência de acompanhante apenas quando há instabilidade do quadro da paciente, condições específicas do recém-nascido ou se a paciente for menor de idade. “Nos demais casos, sugere-se a suspensão temporária para redução de fluxo de pessoas dentro da maternidade. Porém, cada estabelecimento está adotando um fluxo diferente no pós-parto, levando em consideração a capacidade de estrutura para manter a segurança e bem-estar das mães e dos bebês”, diz.

Cuidados antes de chegar ao hospital

A médica também listou alguns cuidados que podem ser tomados pela grávida e pelo acompanhante antes de ir ao hospital. “É recomendável que eles usem uma máscara protetora e tentem evitar aglomerações em transportes públicos – dar preferência ao carro, se possível. No trajeto, eles devem higienizar as mãos com álcool em gel e tomar cuidado para não colocar a mão na máscara, no rosto ou nos olhos”, orienta.

Fonte: Rebecca Sotelo, Médica ginecologista obstetra, com pós-graduação em uroginecologia. Especialista em tratamento de incontinência urinária, prolapso genital e outros distúrbios do assoalho pélvico feminino. Formada em medicina pela UNIRIO e Pós-Graduação em Uroginecologia pela Fiocruz.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também