Foto: Reprodução / Redes Sociais

Homem suspeito de atear fogo em seu próprio veículo e causado incêndio em vegetação em Araras é preso nesta segunda-feira

O ato ocasionou em um incêndio de grandes proporções, o maior registrado em Petrópolis no ano de 2020

Policiais civis da 106ª Delegacia de Polícia, em Itaipava, prenderam em flagrante o suspeito responsável por causar um incêndio que atingiu 10 mil quadrados de área florestal na localidade de Araras.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito teria ateado fogo no próprio veículo, um Fiat Palio Weekend Adventure, na Estrada Almirante Paulo Meira, Vale das Videiras, visando receber o prêmio do seguro. O crime teria acontecido por volta das 3h30 da madrugada.

Ainda de acordo com a polícia, o ato ocasionou em um incêndio de grandes proporções, o maior registrado em Petrópolis no ano de 2020.

Equipes do Corpo de Bombeiros vêm trabalhando incansavelmente no combate ao fogo, utilizando-se de aeronaves e dezenas de homens, e a previsão é de que o fogo seja controlado em 03 (três) dias.

Às 8 horas da manhã desta segunda-feira (27/07), o suspeito compareceu na delegacia a fim de registrar o roubo de seu veículo. Os policiais civis desconfiaram da versão apresentada e, de imediato, iniciaram-se as diligências.

No local, os policiais civis constataram que o incêndio de grandes proporções, já noticiado pela mídia, teve como foco o veículo incendiado. Enquanto uma equipe recolhia imagens de monitoramento do local do fato e identificava possível testemunhas, outra equipe recolhia imagens de monitoramento de postos de gasolina de vários municípios.

Após visitar 20 (vinte) postos de combustíveis, os policiais civis identificaram que o suspeito comprou no dia anterior, às 10 horas, no município de Três Rios, um galão de gasolina – que teria sido utilizado para atear fogo no veículo.

Segundo a Polícia Civil, não restam dúvidas sobre o crime. Elas seriam pautadas principalmente em imagens de monitoramento colhidas no local do fato (excluindo o suposto veículo utilizado na empreitada criminosa), bem como em imagens de monitoramento do posto de gasolina onde fora comprado o combustível.

De acordo com a investigação, o indiciado teria interesse de obter a vantagem ilícita, qual seja receber o valor do seguro do veículo, através de fraude consistente na tentativa de iludir a polícia e a empresa seguradora com um sinistro que na verdade não ocorreu. O homem acabou por ocasionar um dano ambiental de grandes proporções – atestado por laudo pericial.

O indiciado foi autuado em flagrante delito por estelionato tentado, vez que já havia iniciado atos executórios visando o recebimento do seguro, bem ainda pelo delito de incêndio previsto no Código Penal, eis que agindo com dolo eventual ateou fogo ao veículo e expôs a perigo a vida dos moradores locais e, por fim, por incêndio previsto na Lei 9605/98, porquanto provocou incêndio e floresta.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também