Guarda Civil impede ônibus da Trel de chegar em Petrópolis nesta manhã

A Guarda Civil impediu quatro ônibus da Trel de subir para Petrópolis na manhã desta sexta-feira (20.03). O primeiro coletivo tentou chegar na cidade por volta das 6h25, mas teve que retornar para Magé. Na quinta (19), o prefeito Bernardo Rossi esteve no local e reforçou a orientação para as equipes da prefeitura que impeçam o acesso dos veículos de transporte coletivo.

O poder Executivo também impetrou uma liminar e conseguiu que as empresas Trel, Única e Progresso cumpram em sua totalidade o decreto municipal 1.095/2020, que determina a interrupção das atividades das mesmas por 15 dias. As empresas estão terminantemente proibidas de circular pelo período da quarentena. Caso haja desobediência da ordem judicial, a multa estipulada é de R$ 10 mil para cada ação, como venda de bilhete, embarque e desembarque de passageiros, entre outras.

O Procon também notificou a empresa Trel por infringir uma determinação do poder público e a empresa Única será autuada, com prazo para recorrer de até 10 dias. “Ninguém está contente ou satisfeito com todas essas medidas que estamos tomando, mas é necessário que os empresários entendam a importância coletiva do decreto. São medidas duras, mas neste momento, precisamos proteger a população e salvar vidas. Estamos com uma força tarefa de fiscalização neste sentido”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

Também nesta sexta, o prefeito Bernardo Rossi se reuniu com representantes da Guarda, da Polícia Militar, da Polícia Civil, da CPTrans e do Detro, entre outros órgãos, e pediu apoio para intensificar a fiscalização para fazer todas as empresas de ônibus cumprirem os decretos que impedem a circulação de linhas intermunicipais e interestaduais. Depois disso, ele acompanhou ações de fiscalização nos pórticos de Bingen e Quitandinha.

“Vamos permanecer com nossas equipes fiscalizando o Meio da Serra. A determinação do prefeito Bernardo Rossi é cumprir com o decreto municipal, que impede a chegada dos coletivos por 15 dias”, afirmou o superintendente da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.

Desde a última terça-feira (17), um decreto estadual já determinava a proibição da circulação de linhas intermunicipais entre a Região Metropolitana (na qual Petrópolis foi considerada) e os demais municípios, e que também suspendeu por 15 dias a entrada de linhas interestaduais de coletivos com origem em estados que já tenham casos confirmados de coronavírus ou que tenham decretado situação de emergência.

Pela determinação municipal – que começou a valer ontem (19) – ônibus que chegam de cidades da Região Metropolitana do estado com casos de coronavírus, com suspeita ou que tenham declarado situação de emergência – incluindo o Rio de Janeiro – não podem entrar na cidade por 15 dias. Além disso, também está valendo no município a proibição da entrada de veículos de turismo.

O Procurador Geral do município, Sebastião Medici, ressaltou que “se as empresas de transporte intermunicipal continuarem infringindo o decreto estabelecido, serão penalizadas com a multa estipulada em juízo. Espero que o bom senso prevaleça neste caso, e possamos proteger a vida dos petropolitanos”.

Em mais uma reunião do gabinete de crise contra o coronavírus, o prefeito pediu que o Detro, órgão que regula o transporte de coletivos intermunicipais, que intensifique a fiscalização sobre as restrições sobre a entrada em Petrópolis de ônibus de cidades com casos confirmados da doença.

“Intensificamos a presença nos acessos de várias rodovias e no entorno de rodoviárias em todo estado. Na BR-040, temos registrados poucos problemas. Mas estamos em contato direto e em planejamento de novas ações em cima dos novos decretos feitos pelo governo do Estado e, claro, estamos à disposição para colaborar, da melhor forma possível, com o município”, falou o representante do Detro, Carlos de Oliveira.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também