Foto: ROMAN ODINTSOV

Governo incentiva produção de leite para garantir acesso à população de baixa renda

A participação de 2,4% em 2000 caiu pela metade, para 1,2% em 2019. Um resultado abaixo da média nacional.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Governo do Rio de Janeiro quer aumentar a competitividade e ampliar a produção de leite no estado, garantindo ainda o acesso da população de baixa renda ao alimento e seus derivados.   – O incentivo à produção de leite no estado representa não só a retomada de mais um importante segmento econômico, mas um acréscimo adicional à renda dos pequenos produtores familiares – afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Vinicius Farah. Segundo ele, de acordo com o censo agropecuário, são 45 mil pessoas diretamente envolvidas na produção de leite no estado.  

De acordo com o secretário, a maior oferta de leite tem o potencial de reduzir o custo do alimento e, consequentemente, o valor dos produtos, levando o leite e seus derivados a uma faixa maior da população fluminense, pelos preços mais acessíveis, incluindo os de baixa renda.  O estado, que já foi um dos principais produtores de leite do país, vem perdendo participação na produção total nacional do produto. A participação de 2,4% em 2000 caiu pela metade, para 1,2% em 2019. Um resultado abaixo da média nacional.

Não faltam interessados, dentro do segmento de Leite e Derivados, em apoiar essa ideia. Com um faturamento de R$ 4 bilhões/ano, a Laticínios Bela Vista, proprietária da marca Piracanjuba, comprou, em 2019, uma fábrica da Nestlé localizada no município de Três Rios, na Região Centro-Sul Fluminense. A empresa, uma das maiores do setor no Brasil, consome cerca de 5 milhões de litros de leite por dia para produzir seus produtos.

– Queremos ampliar a nossa participação no Rio de Janeiro – afirmou o empresário Cesar Helou, fundador da Piracanjuba, em reunião, nesta segunda-feira (28/6), com a secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico. – Existe um enorme potencial de desenvolvimento da cadeia produtiva do leite no estado, em função do seu mercado consumidor – reforçou.

Segundo dados do Censo Agropecuário do IBGE, o Rio de Janeiro tem uma demanda de consumo de 2,9 bilhões de leite por ano. Hoje, a produção estimada é de cerca de 5 milhões de litros. O déficit de 2,4 bilhões de litros é, atualmente, importado de outros estados.

Fonte: Governo do Estado

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.