Foto: Wendy Andrade

Festival Sesc de Inverno começa na próxima sexta-feira; confira os destaques da programação

Maria Rita, Emicida, Vitor Kley, Maitê Proença, Paulo Betti, 50 anos do Ballet Stagium, Marcelino Freire, Rosana Ricalde, tributo a Nelson Sargento, homenagens ao centenário de Paulo Freire, exibição de documentários e intervenções urbanas estão entre os destaques do evento promovido pelo Sesc RJ.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Depois de uma pausa em 2020 por conta da pandemia, o Festival Sesc de Inverno – um dos maiores eventos culturais multilinguagem do estado do Rio realizado na Região Serrana – está de volta em 2021 em formato híbrido. Com maior parte da programação virtual, a 19ª edição está repleta de atrações em literatura, audiovisual, música, teatro, dança, circo e artes visuais. Quem abre o evento é a cantora Maria Rita, com live-show dia 16/7, às 20h, no qual celebrará o samba ao interpretar clássicos do gênero. A apresentação, transmitida pelo Youtube (/portalsescrio), será uma homenagem a Nelson Sargento, sambista e presidente de honra da Mangueira morto em maio deste ano aos 96 anos. Antes do show, o Sesc RJ exibe o documentário “Nelson Sargento”, de Estevão Ciavatta. A programação completa, que se estende até 25/7, pode ser consultada em www.sescrio.org.br.

Música

Além de Maria Rita, a programação musical traz ainda Victor Kley (21/7), com o show “A Bolha”, em que canta sucessos como “O Sol”; e Emicida (25/7), que apresentará o live-show AmarElo, com canções do álbum homônimo vencedor do Grammy Latino de 2020 e que virou documentário de sucesso na plataforma Netflix. O grupo Tiquequê, formado há 20 anos, mas que estourou na internet durante a pandemia com espetáculos musicais para crianças, apresentam live no dia 21. A instalação sonora “Trocando as Mãos Pelos Pés” acontecerá presencialmente no Sesc Nogueira, em Petrópolis, de 16 a 26 de julho. Trata-se de uma exposição de 10 instrumentos musicais em forma de esculturas cujos sons são acionados pelos visitantes por meio de pedais e outros mecanismos. O acordeonista Kiko Horta realizará, de 16 a 25/7, a oficina virtual “O Som da Sanfona”.

Artes cênicas

A atriz Maitê Proença encena a autoficção “O Pior de mim”, dia 18/7. No dia 22/7, o Sesc RJ exibe uma gravação, feita exclusivamente para o evento, de “O canto da minha terra”, do Ballet Stagium, em celebração aos 50 anos da companhia paulista. No dia 25/7, Paulo Betti conduz “Autobiografia autorizada”, espetáculo que estreou em 2015 por ocasião dos seus 40 anos de profissão. Ainda em 25/7, será exibido o Vídeo Espetáculo Circo Zanni, com imagens de produções realizadas ao longo dos 17 anos do grupo fundado por Domingos Montagner (1962-2016) e Fernando Sampaio, entre outros artistas. Nos dias 16, 17, 18 e 20/7, o grupo recifense Magiluth realiza “Tudo que Coube numa VHS”, um experimento sensorial criado durante a pandemia que utiliza ferramentas como telefone, WhatsApp e redes sociais e que conduz o público pelas recordações de um personagem sobre um relacionamento. As inscrições são pelo instagram da companhia (@magiluth) “Paulo Freire – O andarilho da utopia” e “Ela e Eu: Vesperal com chuva” (estrelado por Suely Franco) também integram a programação teatral.

Artes Visuais

A exposição “Palavras Compartilhadas”, da artista visual Rosana Ricalde, estará em cartaz no Sesc Alpina, em Teresópolis. A mostra, cujas peças apresentam a poética existente entre as formas literária e visual das palavras, também poderá ser “visitada” por meio de um tour virtual disponível no site do Sesc RJ. A artista também dividirá com o público seu processo criativo em live transmitida pelo Youtube dia 20/7. Outra exposição que entra em cartaz durante o evento nesse mesmo formato é “Novas Possibilidades de Leituras do Mundo”. Com obras assinadas por diversos artistas e exposta no Sesc Nogueira, em Petrópolis, a mostra tem curadoria da arte-educadora Angelina Acetta Rojas. Essa mostra também poderá ser “visitada” por meio de um tour virtual no site do Sesc RJ. A artista visual Nadam Guerra e a arte-educadora Fernanda Lenzi ministram oficina ao público infanto-juvenil com técnicas artística simples e lúdicas. A programação de artes visuais do evento também contempla leituras de portifólios e intervenções urbanas em quatro municípios: Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo e Três Rios.

Literatura

O escritor Marcelino Freire participará de uma vivência literária, entre os dias 20 e 23/7, em que falará sobre produção literária e o aumento da exposição do escritor ao ambiente virtual. Nos mesmos dias atividade semelhante será conduzida pelos slamers Tom Grito e Luz Ribeiro na qual abordarão as possibilidades para performance, criação e técnica da poesia falada. O escritor Francisco Gregório Filho apresenta uma contação de histórias ao público infantil dia 17/7. A filósofa, escritora e educadora Eliane Yunes participará de uma mesa em homenagem a Paulo Freire no dia 18/7 ao lado do educador social Tião Rocha. No dia 24/7, o Festival exibe o espetáculo “O Paraíso Mais Belo do Mundo”, baseado na obra do escritor Valter Hugo Mãe. No dia 21/7, uma mesa virtual homenageará os 80 anos do poeta e tradutor Leonardo Fróes. Poemas inseridos em balões biodegradáveis serão lançados pelas cidades de Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo e Três Rios. A intervenção urbana Lambes Brasil, por meio da arte lambe-lambe, vai colocar trechos de poemas de escritores da região nos muros das unidades Sesc Nova Friburgo, Nogueira e Teresópolis, além de um muro escolar em Petrópolis e no Terminal Rodoviário de Três Rios.

Audiovisual

Um dos destaques da programação audiovisual é o documentário “Nelson Sargento”, de Estevão Ciavatta, que será exibido na abertura do Festival Sesc de Inverno dia 16/7. Na obra, o cineasta apresenta um retrato biográfico do artista no Morro da Mangueira. No dia seguinte, o público poderá assistir a “Paulo Freire Contemporâneo”, documentário sobre o pensamento e a antropologia do pedagogo Paulo Freire. A exibição será seguida de debate sobre a obra com a participação do seu autor, o cineasta Toni Venturi. Documentário selecionado em 2018 para o 75º Festival Internacional de Cinema de Veneza, “Humberto Mauro” também ganhará exibição e debate com a participação do seu realizador André Di Mauro. Para o público infantil estão previstas, para o dia 24, exibições dos curtas “Eu queria ser um monstro”, de Marcelo Marão, e “A incrível aventura das sonhadoras crianças contra lixeira furada e capitão sujeira”, de Beatriz Ohana.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.