Exposição virtual e livro buscam dar visibilidade para arte contemporânea produzida em Petrópolis

Cidade na Serra Fluminense conhecida pela sua história mostra vanguarda num olhar artístico.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Conhecida por sua história e belezas naturais, a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio, sempre foi um porto de inspirações para artistas. De Stefan Zweig, Manuel Bandeira e Elizabeth Bishop até Tom Jobim, Guerra-Peixe e Orson Welles, grandes obras foram criadas ali. Visando mostrar novos olhares sobre a cidade, os seus artistas e a rica produção atual – que, muitas vezes, se perde do público – entra em cartaz, desde o dia 15/04, a exposição virtual “Um Passeio pela Arte Petropolitana”. Ainda nesta data, inicia-se o pré-lançamento do livro de mesmo nome que inspirou todo o projeto, que é de autoria do escritor e psicanalista Herculano Farias.

Confira a exposição e pré-lançamento do livro: www.passeioartepetropolitana.com.br

“Herculano escreveu este livro, que agora dá nome a esta exposição, pouco antes da sua morte, ocorrida em agosto de 2014. Naquele ano, frequentamos várias exposições de arte em Petrópolis, período pautado pela convivência com os artistas, surgindo assim a ideia do livro, que ele deixou preparado para ser editado e lançado. Foi também intenção do autor deixar impresso seu olhar especial sobre cada artista visitado, numa leitura filosófica e delicada, prestando ainda uma homenagem ao poder criativo de cada um”, conta Sonia Xavier, uma das artistas presentes no projeto e viúva de Herculano.

Homenageado pelo projeto, Herculano Farias participou de diversas revistas e antologias literárias e foi autor de vários livros de contos como “Força bruta”, “Sagrada família”, “O tambor”, “Treze narrativas” e “Na direção dos ventos – tetralogia da incerteza”. Recebeu, como contista, diversos prêmios como o Otávio de Faria e o Graciliano Ramos de Contos, ambos pela União Brasileira de Escritores (RJ) e o Prêmio Othon D’Eça, da Academia Catarinense de Letras.

Os trabalhos presentes na mostra, que caminham entre a escultura, artes visuais e plásticas de diversas vertentes, estão divididos em duas galerias virtuais nomeadas a partir das duas principais galerias de arte que compõem o Centro de Cultura de Petrópolis e de grandes artistas que passaram pela história da Cidade Imperial. A Galeria Aloísio Magalhães, com os 21 artistas presentes no livro, sob o olhar curatorial de Herculano e co-curadoria do artista plástico e professor Marcelo Lago, e a Galeria Djanira, com 22 artistas selecionados por Lago como um complemento ao livro.

O objetivo é registrar historicamente e aproximar as pessoas da obra de 43 artistas através de uma experiência imersiva para ver detalhes de cada obra com a possibilidade de um acompanhamento em áudio. Com produção da Abstrata Produtora, o projeto foi realizado com recursos captados através da Lei Aldir Blanc com a Prefeitura Municipal de Petrópolis.

“Um Passeio pela Arte Petropolitana” está disponível para visitação online até fevereiro de 2022 e perenemente em sua versão literária.

SITE: www.passeioartepetropolitana.com.br

INSTAGRAM: @passeioartepetropolitana

FACEBOOK:  @passeioartepetropolitana

Fonte: Divulgação

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.