Foto: Pedro Iglesias Amaral

Emoção em primeiro trailer de “Doutor Gama”

Dirigida por Jeferson De, biografia de Luiz Gama ganha nova data de estreia: 05 de agosto.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

“Em nós, até a cor é defeito. Um vício imperdoável de origem, um estigma de um crime”, é assim que o primeiro trailer de “Doutor Gama” se inicia, com uma impactante frase escrita por Luiz Gama no século XIX. O filme, que chega aos cinemas no dia 05 de agosto, acompanha o ícone abolicionista, responsável por libertar cerca de 500 pessoas escravizadas.

Dirigido por Jeferson De (“M8: Quando a Morte Socorre a Vida”, “Correndo Atrás”, “Bróder”), com coprodução da Globo Filmes e Paranoid, produção associada da Buda Filmes e distribuição Elo Company, o longa acompanha Luiz Gama (César Mello), filho de uma africana livre (Isabél Zuaa) e de um português. Aos 10 anos de idade, Gama é vendido por seu pai para mercadores de pessoas escravizadas e mandado para São Paulo. Conquista sua própria liberdade aos 18 anos e aprende a ler com a ajuda de um estudante de Direito. Este interesse pela leitura abre diversas portas para o desenvolvimento do homem que se tornaria.

Ao longo de sua vida, Luiz alforriou, por vias judiciais, centenas de vítimas da escravidão. Ele fazia uso das leis com conhecimento e precisão. Obteve uma provisão para advogar, pois mesmo sem ter frequentado o ensino superior, provou ter todos os conhecimentos necessários de sobra. Sua missão era libertar e garantir o direito de pessoas em condições de escravidão – seus irmãos desvalidos como costumava dizer -, e exigir que as leis existentes no país fossem aplicadas.

Com roteiro de Luiz Antônio, patrocínio SABESP e apoio Mattos Filho, “Doutor Gama” busca evidenciar a história deste advogado, jornalista, abolicionista e poeta, para um Brasil que ainda tenta apagar os fatos de seu passado. O filme foi feito com recursos geridos pela ANCINE e pelo Fundo Setorial Audiovisual e ainda teve apoio para produção e distribuição da Secretaria da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, através do Programa de Fomento ao Cinema Paulista – 2016 e da Lei Aldir Blanc.

Em seu elenco, além de César Mello, Teka Romualdo, Johnny Massaro, Mariana Nunes, Romeu Evaristo, Sidney Santiago, Dani Ornellas, Erom Cordeiro, Nelson Baskerville, e participação especial de Zezé Motta.e Isabél Zuaa

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Documentário aborda a pandemia na perspectiva dos trabalhadores da saúde

O filme é fruto da pesquisa Monitoramento da saúde, acesso à EPIs de técnicos de enfermagem, agentes de combate às endemias, enfermeiros, médicos e psicólogos, no município do Rio de Janeiro em tempos de Covid-19, financiada pelo edital Inova Fiocruz, e coordenada por Mariana Nogueira, Leticia Batista e Regimarina Reis.

Comentários estão fechados.