Detran encerra Maio Amarelo com ações educativas no trânsito

Nas abordagens, os especialistas esclarecem aos motoristas sobre como se precaver de acidentes e preservar vidas.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Detran.RJ está encerrando as celebrações do Maio Amarelo, movimento mundial criado para chamar atenção para o alto número de mortos e feridos no trânsito, com blitzes educativas. As ações começaram hoje (26/05) e vão até o fim deste mês. As blitzes estão sendo realizadas pela Coordenação de Educação para o Trânsito do órgão e a de hoje, em Rio Bonito, é uma parceria com a Secretaria de Ordem Pública do município.

Nas abordagens, os especialistas esclarecem aos motoristas sobre como se precaver de acidentes e preservar vidas. As dicas dadas pelos agentes do Detran vão desde como conduzir crianças nos automóveis até advertências e dicas de atenção no trânsito, como o não uso do celular. Em 2020, mesmo com a pandemia e a redução de veículos nas ruas e rodovias, aconteceram 15 mil acidentes de trânsito no Estado, que vitimaram mais de 19 mil pessoas, das quais, 1.820 morreram.

“É importante sempre reforçarmos as orientações para uma direção segura. Como presidente do departamento, é minha responsabilidade. Cada vida salva é um valor inestimável para nós”, frisa o presidente do Detran.RJ, Adolfo Konder.

Neste ano de 2021, o tema da campanha do Maio Amarelo, definido pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), é “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”. E o Detran do Rio escolheu a marca #VaiNaResponsa para firmar a comunicação com o público fluminense, reforçando que, no trânsito, ter responsabilidade significa cada ator cuidar do outro, indo desde o pedestre até o condutor de veículos pesados.

A primeira ação do Detran neste mês do Maio Amarelo foi uma missa rezada aos pés do Cristo Redentor, o principal símbolo do Estado. O reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo, presidiu a cerimônia. Em seguida, o monumento ao Cristo Redentor foi iluminado de amarelo. Em função da pandemia, o público foi restrito e, por isso, Cibele Paranhos representou a mãe de todas as vítimas de trânsito no Estado. Sua filha Mariana, de 22 anos, morreu atropelada na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro. Também por causa da restrição da pandemia, a celebração foi transmitida pelo canal do Detran.RJ no YouTube e pelos canais do Cristo Redentor e do Padre Omar para que a mensagem pudesse chegar aos usuários de todo o Estado.

SIMBOLOGIA DO MAIO AMARELO

“Queremos que uma mensagem de responsabilidade fique registrada para toda a população. Afinal, no trânsito, os papeis se alternam. Se uma hora somos pedestres, na outra somos condutores. Nossas ações no trânsito podem repercutir na vida de outras pessoas”, ressalta o coordenador-geral de Educação para o Trânsito do Detran.RJ, Rodrigo Varejão.

A primeira edição do Maio Amarelo aconteceu em 2014, com base em uma resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), que definiu o período entre 2011 e 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”.

O mês de maio foi escolhido por ter sido o mês em que a resolução da ONU foi publicada, no dia 11, no ano de 2011. O laço amarelo, símbolo da campanha, tem o objetivo de chamar a atenção de todos para a questão da saúde, já que os acidentes de trânsito são considerados, também, uma epidemia da sociedade moderna.

Fonte: Divulgação

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.