Com lucro líquido superior a R$ 25 bilhões em 2019, clientes ainda amargam demora para atendimento em Petrópolis

Se em 2019 o Bradesco atingiu lucro líquido superior a R$ 25 bilhões – um aumento de 20% em relação ao apurado no exercício de 2018, o investimento para adequar a qualidade no atendimento parece estar longe de ser uma das prioridades do banco em Petrópolis. Nesta terça-feira (11.02), a equipe de fiscais do Procon flagrou os clientes que precisam de atendimento nos caixas amargarem mais de 20 minutos numa agência do Alto da Serra e 32 minutos em uma outra, na Estrada União e Indústria – irregularidade que pode gerar multa de R$ 54 mil aos cofres da empresa.

A operação Tic Tac foi desencadeada após denúncias sobre o período de espera elevado nas agências bancarias da cidade. Além dessas duas, uma outra agência da Caixa Econômica Federal, no Alto da Serra, foi intimida pelo órgão máximo de proteção ao consumidor a prestar esclarecimentos do motivo de não funcionamento do sistema de senhas – o que dificulta a ação fiscalizatória e até o direito do consumidor de ter sua senha carimbada para comprovar o tempo de espera na fila.

“O cenário está longe de ser o ideal, porque nossa meta é o atendimento dentro do período estipulado em lei, mas já percebemos que houve grande mudança no comportamento das agências, uma vez que, em 2017, o tempo de espera médio nas filas era de 55 minutos e, agora, ele já se encaixa no período que atende a lei 5763/2001, que é de 15 minutos. Vamos manter essa postura firme de cobrança e autuar qualquer irregularidade encontrada”, enfatiza o coordenador do Procon, Bernardo Sabrá.

Nessa fase da operação, a equipe do Procon passou pelo Bingen, Corrêas, Itaipava e Alto da Serra e, das 11 agências fiscalizadas, três estavam irregulares. No caso das agências do Bradesco, a que fica na União e Indústria já foi flagrada com o mesmo problema três vezes. Ainda de acordo com a lei, quando a fiscalização flagra a irregularidade por mais de cinco vezes, a agência pode ter seu alvará de funcionamento suspenso até que comprove ter capacidade de atender o que preconiza a legislação.

No município, a lei que rege as ações do Procon neste contexto é a 5763/2001. Ela diz que as agências devem ter pessoal suficiente para atender o público em até 15 minutos em dias normais e em até 30 minutos em vésperas e pós-feriados. O Procon orienta que o consumidor peça ao caixa que carimbe a sua senha – que deve conter a data e a hora que o cliente entrou naquela agência assim como o horário de seu atendimento.

Denúncias devem ser feitas na Rua Dr. Moreira de Fonseca, 33, no Centro, ou na unidade de Itaipava, que fica na Estrada União e Indústria 11.860, no Centro de Cidadania. Há, ainda, o WhatsApp Denúncia 99257-5837. Os telefones para contato são o 2246-8469 / 8470/ 8471 / 8472 / 8473 / 8474 / 8475 / 8476 e 8477

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também