Áreas de preservação permanente recebem placas de sinalização da Secretaria de Meio Ambiente

Conscientizar a população da importância da vegetação nativa na preservação de recursos hídricos e na biodiversidade. Com esse objetivo, a Secretaria de Meio Ambiente está instalando placas de sinalização em Áreas de Preservação Permanente (APPs). Nesta quinta-feira (04.07) o trabalho foi realizado na Castelânea (Vila Carolina Brand Reis) e no Alcobacinha (Servidão Augusto Igrejas Martins). O material colocado também alerta os moradores sobre os riscos das queimadas e os problemas causados pelo descarte irregular de lixo nessas regiões.

A meta da prefeitura é colocar 400 placas nestes locais até o final do período de estiagem, no final de setembro. Desde o início da ação, no ano passado, foram colocadas cerca de 300 em diversas regiões da cidade. “Estamos investindo na conscientização, especialmente, nas escolas e nos bairros. A educação ambiental é fundamental para a nossa cidade que é coberta por áreas verdes”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

Nesta semana, a instalação de placas também aconteceu na Comunidade do Alemão – com o apoio da associação de moradores do bairro – Vila Ipanema e no Parque São Vicente. A prefeitura quer a população ainda mais participativa nas questões ambientais. “Precisamos trabalhar a educação ambiental no âmbito da comunidade, como já fazemos com as crianças dentro do Defesa Civil nas Escolas”, explica o secretário de Meio Ambiente, Renato Couto.

Outras ações de conscientização também estão sendo executadas, como um calendário de caminhadas ecológicas guiadas e uma campanha permanente de recolhimento de lixo eletrônico.  O trabalho desenvolvido faz parte do projeto Inteligência Ambiental (IA) do setor de educação ambiental, criado pela pasta 2017 com o objetivo de conscientizar a população da importância da preservação ambiental.

“Todo conhecimento adquirido pelos jovens é repassado para a comunidade, eles são ótimos multiplicadores de boas ações. Investimos bastante nas escolas, com ações permanentes, além de outros projetos que trabalham o meio ambiente dentro das comunidades”, completa Anderson Campos, coordenador de educação ambiental da Secretaria de Meio Ambiente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Leave a Comment