APPO fortalece as ações referentes à saúde mental de seus pacientes neste Janeiro Branco

A Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos trabalha para manter o equilíbrio dos pacientes em tempos de pandemia.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Janeiro Branco é uma campanha que convida as pessoas a refletirem sobre a saúde mental. Criado em 2014 tem como objetivo colocar esse tema em evidência, promovendo a conscientização sobre a importância da prevenção ao adoecimento emocional — algo que gera impactos preocupantes em nossa sociedade. O mês foi escolhido para abordar a saúde mental, pois em termos simbólicos e culturais, as pessoas estão mais propensas a pensarem em suas vidas, em suas relações sociais, em suas condições de existência, em suas emoções e em seus sentidos existenciais. Janeiro, portanto, é uma “página em branco”, onde pode ser reescrita uma nova história, a depender de nossas ações.

Para a psicóloga Aline Barbosa, os pacientes oncológicos precisam ser acompanhados de perto para que os danos emocionais não atrapalhem no tratamento contra o câncer. “O sofrimento emocional associado à doença, se ignorado, pode acarretar redução significativa na qualidade de vida do paciente oncológico a ser cuidado e de seus familiares, afetando de maneira desfavorável a adesão aos tratamentos e intervenções propostas”, alerta.

Além do impacto físico que o câncer acarreta, a doença também causa grande impacto emocional. A psicóloga afirma que “um processo de adoecimento vem sempre acompanhado da sensação de ameaça à continuidade da vida, podendo ocasionar baixa autoestima, diminuição de habilidades laborativas e autocensura que ratificam estigmas”. Ela ainda diz ser comum que o diagnóstico do câncer venha desencadear reações orgânicas e emocionais, provocando sentimentos, desequilíbrios e conflitos internos, referindo principalmente o medo, incertezas e ansiedade, que podem ocorrer ao longo do caminho do paciente oncológico; e implicar na diminuição de hábitos saudáveis, além da não realização e até abandono do tratamento médico.

Neste cenário, aliado aos desafios que a pandemia do Coronavírus trouxe, o psicólogo trabalha em conjunto com o paciente e a família, na busca por dar novos significados à doença e melhorar sua qualidade de vida, auxiliando o paciente no enfrentamento da patologia e colaborando para diminuir emoções negativas acerca da situação atual. A psicóloga garante que esse trabalho é realizado pela APPO ao longo de todo o ano, sempre pensando em melhor qualidade de vida para os usuários da Instituição.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.